Astros se separam do general manager James Click

Os Astros se separaram do general manager James Click, anunciou a equipe na sexta-feira. Jeff Passan da ESPN tuitar que Click rejeitou oficialmente a oferta de um ano de Houston para retornar à organização. Detalhes futuros sobre a estrutura de operações de beisebol dos Astros virão em uma data posterior não especificada, de acordo com a equipe.

“Somos gratos por todas as contribuições de James”, disse o proprietário Jim Crane em um comunicado preparado. “Tivemos muito sucesso em cada uma de suas três temporadas, e James tem sido uma grande parte desse sucesso. Quero agradecê-lo pessoalmente e desejar a ele e sua família sucesso contínuo.

É uma demissão bizarra e sem precedentes, mas não uma surpresa completa. Os relatórios sugerindo atritos entre Crane e Click remontam a mais de um mês, embora fosse amplamente esperado que, se Houston conseguisse vencer a World Series, Click seria mantido. Crane tecnicamente deu a seu GM essa oportunidade, mas apenas na forma de uma extensão de um ano. Extensões de apenas um ano para um GM ruim são raras em primeiro lugar, e apresentar esse tipo de oferta após três aparições consecutivas na ALCS, duas vagas consecutivas na World Series e, é claro, uma World Series 2022, parece pouco mais do que uma oferta baixa.

Crane contratou Click em 3 de fevereiro de 2020, apenas algumas semanas depois que o ex-presidente de operações de beisebol Jeff Luhnow e o gerente AJ Hinch foram demitidos após a investigação do escândalo de roubo de signos dos Astros em 2017. Click supervisionou três temporadas e três trocas com os Astros em além de duas offseasons completas. Entre suas contratações notáveis ​​como agente livre estavam Heitor Nerisuma retirada barata de Ryne Staneke um novo acordo para Justin Verlander, embora o próprio Verlander tenha declarado publicamente que foi uma ligação direta de Crane que fez esse acordo. De uma forma relacionada, Ken Rosenthal, do The Athletic, relatou recentemente que Crane desempenhou um papel muito maior nas operações de beisebol do que a maioria dos proprietários, às vezes funcionando como uma espécie de “proprietário / gerente geral”.

Pelo menos na superfície, há evidências de que isso era verdade não apenas em relação aos esforços de agentes livres, mas ao mercado comercial. Guindaste teria cancelado um acordo comercial teria enviado direto José Urquidy aos Cubs em troca de Willson Contreras no verão passado, por exemplo. Os Astros giraram e adquiriram Christian Vázquez No lugar. Outras transações notáveis ​​feitas durante o mandato de Click incluíram aquisições de alívio Kendall Graveman, Rafael Montero, Yimi Garcia, Phil Maton e Brooks Raley – todos os quais parecem variar de discutível a excepcional em retrospectiva.

Para onde os Astros estão indo continua a ser visto. Nas últimas temporadas, eles viram tenentes importantes como Sig Mejdal (Orioles) e, mais recentemente, Pete Putila (Giants) partirem para cargos maiores em outras organizações. Atualmente, eles têm um par de gerentes gerais assistentes em Andrew Ball e Scott Powers.

Claro, haverá (e já houve) especulação desenfreada sobre o ex-gerente geral assistente dos Astros, David Stearns, que recentemente deixou o cargo de presidente de operações de beisebol dos Brewers. Milwaukee contratou Stearns fora de Houston como gerente geral em 2015, e Stearns rapidamente estabeleceu uma reputação como um dos executivos mais respeitados e bem-sucedidos do esporte, antes de ser promovido a presidente das operações de beisebol.

Stearns tem mais um ano de contrato com os Brewers. A equipe anunciou no momento de sua decisão de recuar que Stearns permaneceria na equipe como consultor/consultor, ajudando o gerente geral Matt Arnold na transição para o cargo sênior de operações de beisebol. Stearns, natural de Nova York e alvo frequente do Mets nas últimas offseasons, disse na época que não tinha planos de buscar outras oportunidades. “Não vou a lugar nenhum”, disse Stearns, acrescentando claramente que planeja ficar em Milwaukee e, pela primeira vez em anos, ter a oportunidade de respirar fundo e passar um tempo com sua jovem família.

Ainda não se sabe se Stearns é uma opção legítima para os Astros, embora seja lógico que Crane considere a possibilidade. Especula-se que, como Stearns ainda tem um contrato, os Astros deveriam orquestrar algum tipo de negociação para colocá-lo em seu escritório principal. Isso, no entanto, pressupõe que mesmo Stearns quer para retornar imediatamente aos rigores de uma programação de operações de beisebol 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Caso contrário, Crane terá agora a opção de entrevistar dirigentes de outros clubes para assumir o antigo cargo de Click. Se a esperança é eventualmente atrair Stearns ou outro executivo de alto nível para Houston, Crane pode apenas contratar um gerente geral por enquanto, deixando o título de “presidente de operações de beisebol” vago e esperando, talvez, ser um nome maior. No entanto, isso geralmente limitaria Crane a entrevistar vice-presidentes executivos de outras organizações. As equipes geralmente só permitem que seus gerentes conversem com outros clubes e saiam se receberem uma promoção.

Seja como for, é uma grande mudança para a organização Astros e uma visão chocante ver um gerente geral vencedor da World Series deposto apenas algumas semanas depois de erguer o troféu acima de sua cabeça. . Crane pode e provavelmente irá apontar para o suprimento de um ano e dizer que tentou manter a Click, embora tais declarações transparentes pareçam vazias. Click, que anteriormente atuou como gerente geral assistente dos Rays, deve ter muito interesse de outras organizações enquanto busca sua próxima oportunidade no beisebol e, com toda a probabilidade, terá várias ofertas e vários papéis entre os quais escolher como The 44-year -velho se pergunta para onde sua carreira irá a seguir.