Funcionário da Comissão Europeia criticado por dizer que Call of Duty permanecerá no ‘meu PlayStation’

Palma facial: Em outro exemplo de por que as pessoas públicas devem ter cuidado ao postar nas mídias sociais, um membro da equipe da Comissão Europeia está enfrentando acusações de parcialidade após um tweet sobre Call of Duty permanecer no PlayStation.

Ricardo Cardoso, vice-chefe da unidade interagências e divulgação da Comissão Europeia, twittou na semana passada que a agência está “trabalhando para garantir que você ainda possa jogar Call of Duty em outros consoles (incluindo meu Playstation [sic])”

A Comissão há muito que insiste em que o principal objectivo da sua investigação na aquisição da Activision Blizzard por US $ 69 bilhões pela Microsoft é garantir que a empresa com sede em Redmond não faça jogos como Call of Duty exclusivos para Xbox e PC, um movimento que, segundo ela, causará problemas de concorrência na indústria de videogames.

Mas enquanto Cardoso apenas reafirmou esse objetivo, o uso da palavra “meu” PlayStation foi equivocado e levou a acusações de parcialidade – um cão de guarda do Reino Unido enfrentou acusações semelhantes no mês passado, quando a Microsoft disse que o regulador estava magro “nas declarações de interesse próprio da Sony.”

O tuíte levou a Comissão Europeia a esclarecer que Cardoso não esteve envolvido no processo de revisão da aquisição. “O Sr. Cardoso trabalha na Direcção-Geral do Mercado Interno e não na Direcção-Geral da Concorrência”, disse ela em comunicado ao Tweakville. “O Sr. Cardoso não está envolvido na avaliação desta transação. Além disso, como seu perfil no Twitter indica claramente, ele está tuitando a título pessoal.”

Cardoso, em outro tuíte, confirmou que não trabalha no departamento que trata de fusões. “Esclarecendo: não estou envolvido na avaliação da fusão e nem trabalho no departamento de fusão. Como fica claro no meu perfil, meus comentários são pessoais e não uma posição da Comissão, cuja decisão será tomada com base em os fatos e a lei”, escreveu ele no fim de semana.

É estranho que Cardoso tenha sentido a necessidade de postar o tweet em primeiro lugar. A Microsoft disse inicialmente que planejava manter CoD no PlayStation por vários anos além do acordo atual da Sony com a Activision, que cobre os próximos dois lançamentos da série após o recente lançamento de Modern Warfare II. O CEO da PlayStation, Jim Ryan, disse que era “inadequado“, mas o chefe do Xbox, Phil Spencer, agora diz que a série estará nas máquinas da Sony”contanto que haja um PlayStation lá fora.”

A Microsoft está caminhando para finalizar o acordo. Os reguladores da Arábia Saudita e do Brasil o aprovaram, e a FTC deve emitir uma decisão neste mês. O maior obstáculo agora pode ser o Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido, que deu 1º de março como prazo para sua decisão final. A Microsoft também precisa da aprovação dos reguladores da Austrália, Nova Zelândia, Japão e Coreia do Sul.