Fundo hipotecário no Canadá suspende pagamentos devido à crise de caixa

O credor imobiliário canadense Romspen Investment Corp. interrompeu os resgates de seu maior fundo depois que vários mutuários pararam de fazer pagamentos.

A empresa com sede em Toronto “adiará temporariamente o pagamento” das recompras até que fique mais claro quando os mutuários pagarão os empréstimos e o fundo poderá retirar dinheiro da venda de ativos, de acordo com uma carta aos investidores datada de 8 de novembro. “A atividade de pagamento de empréstimos permanece suprimida.”

A medida ressalta o crescente estresse no mercado imobiliário do país, uma vez que um forte aumento nas taxas de juros altera a economia dos projetos comerciais e perturba o mercado imobiliário.

A empresa, que é apoiada pela TIG Advisors, com sede em Nova York, é uma gestora especializada estabelecida de fundos de hipotecas privados, fornecendo empréstimos de pré-desenvolvimento, construção e outros para projetos comerciais e residenciais. É um dos maiores players privados neste setor no Canadá.

O Romspen Mortgage Investment Fund tinha US$ 2,8 bilhões (US$ 2,1 bilhões) investidos em 134 hipotecas no final de junho, divididos aproximadamente igualmente entre projetos canadenses e norte-americanos. A administração agora está trabalhando para acelerar a venda de certos ativos para liberar dinheiro.

“Tenha certeza de que estamos trabalhando diligentemente para agilizar várias dessas transações de portfólio e permanecemos confiantes no valor subjacente dos ativos do fundo”, disse Romspen na carta, assinada por oito diretores.

“Em muitos casos, no entanto, essas transações envolvem a coordenação dos interesses de vários terceiros independentes, que também são afetados pelas incertezas atuais do mercado.”

Os fundos de empréstimos privados cresceram em popularidade entre os investidores famintos por rendimento na era das taxas de juros mais baixas. Mas os veículos de financiamento hipotecário tiveram um ano difícil com taxas crescentes. O aumento dos custos de empréstimos também está prejudicando os desenvolvedores, que buscam capital para construir novos projetos ou refinanciar os existentes.

Como resultado, a Romspen reduziu seus negócios no Canadá, disse o sócio-gerente Derek Jenkin à Bloomberg no mês passado.

“ETAPA DIFÍCIL”

Para preservar a liquidez, a empresa criou um “trickle pool” para investidores que desejam retirar seu dinheiro à medida que os ativos são vendidos. Mas isso não diminuiu os pedidos de resgate, de acordo com a carta, que diz que a empresa pode tomar outras medidas se as condições piorarem.

Romspen disse aos investidores que havia superado outras classes de ativos novamente este ano, com um retorno de um ano de 8,2% em 30 de junho, segundo seu site. “Estamos confiantes de que passaremos por essa fase difícil e alcançaremos resultados razoáveis ​​de longo prazo para os investidores, assim como fizemos em tempos de adversidade passada nos mais de 50 anos de história de Romspen”, dizia a carta.

Quando os desenvolvedores não conseguem recuperar os pagamentos, a Romspen fecha e implanta equipes para continuar trabalhando nos projetos antes de vendê-los. Como ele está emprestando a 65% de LTV, “o mercado teria que se movimentar cerca de 30% para vermos uma perda material em nosso livro”, disse Jenkin no mês passado.