O que é abandono rápido e por que isso pode acontecer

  • Algumas pessoas que fazem parte do Big Quit podem “desistir rapidamente” e abandonar empregos em que estiveram por menos de um ano.
  • Dados do LinkedIn mostram que a variação ano a ano na taxa de curto prazo esfriou recentemente antes de aumentar.
  • O medo da recessão pode afetar aqueles que estão pensando em parar de fumar em breve.

o grande demissão nos Estados Unidos foi forte, pois as empresas lutavam para reter funcionários dispostos a pedir demissão e buscar novas oportunidades em um mercado de trabalho restrito.

Mas há uma novidade:parada rápida“, que o LinkedIn define como deixar um cargo que ocupou por menos de um ano, de acordo com seus dados.

No entanto, as pessoas que agora estão pensando em deixar seus empregos rapidamente podem estar menos interessadas em se despedir de seus empregos devido a um potencial recessão Próximo ano.

“O rápido aumento nas taxas de demissão no início deste ano refletiu um mercado de trabalho muito aquecido, onde os trabalhadores tinham muitas opções, muito poder de barganha”, disse Guy Berger, economista sênior do LinkedIn, ao Insider. “A desaceleração no crescimento da queda rápida reflete o pêndulo balançando um pouco para o outro lado e pode continuar a oscilar se cairmos em uma recessão.”

O gráfico a seguir mostra a variação ano a ano da taxa de curto prazo, ou a proporção de cargos ocupados por menos de um ano, ao longo do tempo, de LinkedIn. É importante notar que estes dados não incluem apenas as saídas, pois incluem saídas voluntárias e involuntárias.

Como mostra o gráfico, a variação ano a ano na taxa de curta duração no LinkedIn esfriou em março de 2022, antes de aumentar recentemente em setembro e outubro.

Embora ainda não estejamos em recessão, Berger disse que espera que o número de demissões rápidas comece a cair, pois os trabalhadores que “não correm risco imediato de perder seus empregos terão menos empregos. oportunidades nos próximos meses. Ele acrescentou que “eles também podem ser um pouco mais cautelosos e um pouco mais nervosos”.

“E é quase uma história que não é tanto sobre o momento, embora vejamos no crescimento geral do desligamento rápido moderado, mas mais uma história sobre daqui a seis meses, quando as coisas vão desacelerar mais”, disse Berger.

Aqueles em posições de colarinho branco podem se preocupar que um benigno recessão significa ano que vem. William Lee, economista-chefe do Milken Institute, disse anteriormente Observação do mercadoque a recessão seria “principalmente uma recessão do colarinho branco”.

Mas, por enquanto, a análise do LinkedIn das taxas de estabilidade de curto prazo usando seus próprios dados mostra que os trabalhadores de colarinho branco estão entre os trabalhadores que desistem rapidamente.

“Os trabalhadores também estão gastando menos tempo em cada trabalho em setores considerados tradicionalmente de colarinho branco, como tecnologia, serviços financeiros e serviços profissionais, que consistem principalmente em empresas de contabilidade e consultoria”, disse o LinkedIn. Boletim de Notícias sobre a parada rápida declarada. “As habilidades dos trabalhadores nessas indústrias tipicamente bem remuneradas estão em alta, então há uma sensação de influência para aqueles que procuram um novo papel.”

Burnout e locais de trabalho tóxicos podem ser duas razões pelas quais os trabalhadores decidem deixar empregos que não tiveram por muito tempo

Embora Vicki Salemi, especialista em carreira da Monster, tenha dito ao Insider que “não sabemos os detalhes de por que as pessoas desistem rapidamente”, Salemi disse que as pessoas podem largar um emprego rapidamente devido a um ambiente de trabalho tóxico. As pessoas também podem ser deixando por causa do esgotamento.

“Se você está em seu novo emprego e já está atingindo o esgotamento ou ainda não o atingiu, sabe que é iminente, é um problema. É uma bandeira vermelha”, disse Salemi. “E então a pergunta é, como você pode consertar isso?” Uma forma de remediar isso – além de sair – é ver se sua empresa consegue “aliviar a carga”.

Salemi disse que era “cautelosa” sobre as pessoas desistirem rapidamente porque “não precisa ser espontânea”. Ela disse que as pessoas precisam ter certeza de que têm suas “finanças em ordem”, além de serem profissionais e “terem um plano de jogo”. Salemi também disse que se você sair rapidamente, é melhor não fazer disso um hábito.

Seja qual for o motivo pelo qual alguém decidiu deixar um emprego que ocupou por menos de um ano, a taxa esfriou depois de março. Berger disse que a razão pela qual a taxa de crescimento pode ter caído recentemente foi devido a um mercado de trabalho ligeiramente mais frio e um leve aumento na “incerteza econômica”. Também pode ser porque eles não veem tantas novas oportunidades, de acordo com Berger.

“A Pesquisa de Confiança da Força de Trabalho do LinkedIn mostra que, embora esteja estável há alguns meses, as pessoas no acumulado do ano se sentem um pouco menos certas sobre sua capacidade de encontrar ou manter um emprego”, acrescentou Berger.

Berger disse que “as mesmas coisas que fizeram você pensar, ‘sabe de uma coisa? Não importa se estou aqui há apenas alguns meses, devo apenas pedir demissão e começar o próximo trabalho’ podem levar algumas pessoas a ficarem um pouco mais cuidado” e não saia tão rapidamente.

Você deixou recentemente um emprego em que estava há menos de um ano? Compartilhe sua história enviando um e-mail para este repórter em mhoff@insider.com.