Produtores do IG Production e WIT Studio altamente satisfeitos com as colaborações no exterior – Interesse

Produção IG produtor Hiroshi Ito e Com estúdio produtor Tetsuya Nakatake deu uma visão geral do estado atual das colaborações no exterior no seminário “Global Strategies of Japanese Animation Studios -Our Positive Global Strategies-” da TIFFCOM. No geral, eles dão boas-vindas a parcerias no exterior e apreciam especialmente acordos com outros otakus que entendem o apelo do anime japonês.

Antes de entrar em detalhes, eles contextualizam os diferentes tipos de colaborações com os quais trabalham. Eles começaram com animadores – esta é a circunstância mais comum em que o talento estrangeiro se aplica ao anime. A digitalização do processo de animação facilita a integração do trabalho desenhado remotamente ao pipeline de produção típico; muitos animadores usam o Clip Studio Paint, que é fácil de usar e acessível.

Também está mais fácil do que nunca procurar talentos nas redes sociais. Os dois produtores comentaram que conseguiram encontrar artistas notavelmente habilidosos dessa forma em países como China, França, Taiwan e Brasil. Muitos desses jovens animadores estão na casa dos vinte anos, cresceram com anime disponível para streaming e são incrivelmente apaixonados pelo que desenham. Nas próprias palavras dos produtores, eles possuem “um coração otaku apaixonado”.

Os produtores disseram que, apesar do crescente mercado no exterior, ainda é difícil para os criadores de anime criar algo que possa atrair o otaku e garantir que chegue até eles. Nesse sentido, as coisas não mudaram desde que o anime foi voltado apenas para o público japonês. Ao mesmo tempo, os estúdios japoneses estão cada vez mais requisitados para criar animes baseados em IPs estrangeiros, como Guerra das Estrelas; os produtores esperam ver mais criadores de Hollywood inspirados em animes no futuro.

Falando de Guerra das Estrelasos produtores passaram muito tempo discutindo Guerra nas Estrelas: Visões projeto de antologia. Ito disse que gostou de fazer este projeto porque estava na geração certa para Guerra das Estrelas mania. Ao mesmo tempo, Nakatake disse que encontrou Cinema Cítrico e os interessantes shorts de Kamikaze Doga. Ito disse que foi muito bom receber tanta confiança e liberdade criativa da Disney, e Nakatake concordou que isso faz alguns trabalhos incríveis.

Os dois também passaram um tempo conversando sobre suas colaborações com netflix. O bom de trabalhar com parceiros de streaming no exterior, eles comentaram, foi que eles garantiram que os custos de produção pudessem ser atendidos antecipadamente, tornando o anime um investimento mais seguro e permitindo orçamentos maiores.

No entanto, nenhum dos produtores acreditava que trabalhar com parceiros estrangeiros exigia mudanças significativas na abordagem japonesa. Embora os produtores tenham notado a necessidade de pensar globalmente, já que o mercado externo ultrapassou o mercado japonês em 2020, eles disseram que o mais importante para impressionar o mercado externo é a capacidade de produção do que a comercialização. Na opinião deles, O ataque dos titãs e fantasma na Concha tornaram-se sucessos devido ao entusiasmo dos criadores. Ito mencionou a parte animada em Matar Bill e observou que era uma grande percepção de como legal anime pode ser.

Ito e Nakatake esperam que, à medida que as relações entre os parceiros japoneses e estrangeiros se aproximem, possa haver relações mais diretas e pessoais. Dessa forma, eles podem se afastar de ambientes de trabalho separados e buscar uma divisão de trabalho mais suave. O mais importante, eles observam, é o entusiasmo. Se um lado não tem, o outro vai notar. Para eles, trabalhar com IPs de sucesso é um bom sinal, e é bom que os relacionamentos mudem para que possam ter mais liberdade criativa.

Por fim, eles destacaram algumas de suas colaborações favoritas no exterior nos últimos anos: Cyberpunk: Edge Runners, Esotéricoa Super Mario Bros. cinema, e batman ninja. Em relação ao último título, eles apontaram que Batman Ninja não era mais Batman – no bom sentido, claro. Nesse sentido, você não deve apenas contratar artistas japoneses para desenhar as coisas exatamente como elas eram originalmente; você tem que deixá-los ir à loucura e mostrar ao mundo o que há de bom no anime.

Nesse sentido, eles concluíram o seminário de negócios pedindo às empresas que apresentassem ofertas. O entusiasmo deles pela próxima onda de colaborações no exterior era contagiante.

Fonte: Webinar TIFFCOM 2022