Qatar assina acordo de 27 anos com a China à medida que a competição de GNL se intensifica

  • Kaabi diz que as discussões com outros compradores chineses e europeus estão em andamento
  • Diz que os compradores podem ter até 5% de participação na expansão
  • Acordo indica a importância do abastecimento seguro a longo prazo

DOHA, 21 de novembro (Reuters) – A QatarEnergy assinou um contrato de 27 anos para fornecer à chinesa Sinopec gás natural liquefeito (GNL), o mais longo contrato de GNL até agora, já que a volatilidade do mercado leva os compradores a buscar acordos de longo prazo.

Após a invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro, a competição pelo GNL tornou-se intensa, com a Europa em particular precisando de grandes quantidades para ajudar a substituir o gasoduto russo que representava quase 40% das importações do país.

“Hoje é um marco para o primeiro contrato de compra e venda (SPA) para o projeto North Field East, são 4 milhões de toneladas por 27 anos para a chinesa Sinopec”, disse a Reuters à Reuters. o chefe da QatarEnergy, Saad al-Kaabi, em Doha, pouco antes da assinatura do acordo.

“Significa que os acordos de longo prazo existem e são importantes para o vendedor e para o comprador”, disse, acrescentando que o acordo foi o maior contrato de compra e venda já registrado no setor.

O Campo Norte faz parte do maior campo de gás do mundo que o Qatar compartilha com o Irã, que chama sua parte de South Pars.

A QatarEnergy assinou cinco acordos no início deste ano para o North Field East (NFE), o primeiro e maior do plano de expansão em duas fases do North Field, que inclui seis trens de GNL que aumentarão a capacidade de liquefação do Qatar para 126 milhões de toneladas por ano até 2027, de 77 milhões .

Em seguida, fechou contratos com três sócios para a North Field South (NFS), segunda fase da expansão.

O acordo de segunda-feira, confirmado pela Sinopec, é o primeiro acordo de fornecimento anunciado para a NFE.

“Isso leva nosso relacionamento a novos patamares, pois temos um SPA que durará até a década de 2050”, disse Kaabi.

FORNECIMENTO DE LONGO PRAZO

Kaabi disse que as negociações com outros compradores na China e na Europa que desejam segurança no fornecimento estão em andamento.

O Catar já é o maior exportador de GNL do mundo e sua planejada expansão do North Field fortalecerá essa posição e ajudará a garantir o fornecimento de gás a longo prazo para a Europa, à medida que o continente busca alternativas aos fluxos russos.

“Acho que a recente volatilidade fez os compradores perceberem a importância de ter uma oferta de longo prazo fixa e com preços razoáveis ​​para o longo prazo”, disse Kaabi.

Ele disse que o preço do negócio seria semelhante a outros no passado que estavam atrelados ao petróleo bruto.

“A forma como precificamos nossos acordos com a Ásia está ligada ao petróleo. Fizemos assim no passado e esse é o mecanismo que usaremos daqui para frente.”

O acordo foi assinado ex-ship, o que significa que a QatarEnergy cuidará do embarque e entrega do GNL.

Kaabi acrescentou que estão em curso negociações para uma participação no projecto de expansão do país do Golfo com várias entidades.

O contrato de fornecimento é uma parte fundamental de uma parceria integrada na NFE, disse a Sinopec em comunicado, indicando que pode estar envolvida em negociações de participação.

A QatarEnergy manteve uma participação geral de 75% na expansão e pode vender até 5% de sua participação para certos compradores, disse Kaabi.

“Grandes compradores que desejam se comprometer a longo prazo com um volume substancial desejam ver alguns dos lucros do negócio upstream… então acho que é uma grande vitória se você quiser e torna a parceria ainda mais sólida.”

Fontes disseram à Reuters em junho que as principais petrolíferas nacionais da China estavam em negociações avançadas com o Catar para investir na NFE.

Reportagem de Andrew Mills e Maha El Dahan; reportagem adicional de Chen Aizhu; editado por Jason Neely e Mark Potter

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.