Star Wars The High Republic Convergence Clipe

Imagem para o artigo intitulado Convergence, Star Wars: The High Republic Phase 2's first adult novel

Imagem: Do Rei

A segunda fase por Lucasfilm Alta República A era dá grandes passos para trás, principalmente para trás, à medida que nos afastamos do clímax dramático da primeira fase da campanha transmídia por um tempo. há centenas de anos atrás. E agora o io9 apresenta a você um dos próximos grandes passos neste segundo capítulo.

Embora A Alta República fase dois já começou com lançamentos como o romance YA caminho do engano e o relançamento da Marvel do acompanhamento Alta República quadrinho, Convergência-o novo romance de Zoraida Cordova—provavelmente será um grande saltono ponto para muitos fãs como o primeiro romance adulto neste próximo capítulo.

Imagem para o artigo intitulado Convergence, Star Wars: The High Republic Phase 2's first adult novel

Imagem: Do Rei

Esta tudo bem em um período da história expansionista da República 150 anos antes dos eventos de A Alta Repúblicaa primeira fase– onde a comunicação através de uma galáxia se abrindo cada vez mais para o universo ainda é rara, a República ainda está em um período nascente de sua evolução e os Jedi ainda não estão de mãos dadas com o governo da Galáxia. Ao mesmo tempo, novas facções estão surgindo, com ramificações potencialmente importantes para A Alta República à medida que avança – como o estranho Caminho da Mão Aberta, um movimento religioso que acredita que a Força nunca deve ser usada por seres sencientes… como os Jedi.

Dentro Convergência, o Caminho começa a dar grandes passos quando os Jedi e a República são chamados aos planetas orbitais de Eiram e E’ronoh, em uma tentativa de forjar a paz entre os mundos em guerra. Quando uma tentativa de assassinato contra as famílias reais de Eiram e E’ronoh é Feito em um casamento destinado a unir os planetas, os Jedi e a República tentam trabalhar juntos e descobrir os misteriosos agitadores que atuam nos bastidores … alguns dos quais você pode conhecer em nosso clipe exclusivo abaixo, ambos em texto e Convergência‘s audiobook, lido por Marc Thompson!

Star Wars: The High Republic – Trecho do audiolivro Convergence

Serrena desmontou o droide de comunicação EX peça por peça. Ele teria se perdido no hiperespaço se ela não tivesse se movido rapidamente. Com toda a atenção nas naves de perfuração subindo pelo espaço de E’ronoh, Serrena escapou sem ser detectada e interceptou a cápsula da República com seu ônibus de transporte da classe Vane, um ônibus espacial para duas pessoas que ela havia recolhido sucata e armado com grampos magnéticos retráteis. . Ela o havia soldado e montado com as próprias mãos.

Ela havia desembarcado em Brushlands, em uma vila mineira abandonada na fronteira com a capital. Lá, Serrena encontrou tudo o que precisava para cumprir sua missão. Um lugar tranquilo para se esconder e servir bem ao seu mestre.

A porta da frente se abriu, deixando entrar o frio e a poeira da noite ventosa. Abda estava de volta, e o cheiro de escorpião frito encheu a sala. Serrena não ergueu os olhos.

“Eu trouxe comida. Você está trabalhando nisso há horas”, disse Abda, sentando-se no carpete puído.

Ela se ressentia de Abda observando por cima do ombro, apontando cada detalhe como se Serrena não tivesse pensado nisso primeiro. Mas os anciãos insistiram em trabalhar em duplas, para garantir que nunca fossem vulneráveis ​​às corrupções do mundo exterior. Serrena e Abda eram, é claro, ambos Kage, nascidos no mundo escuro e brilhante de Quarzite. Banidos por seus clãs por se recusarem a lutar. Para Serrena, não era da violência que ela estava se afastando. Essa era a sua insignificância. Através do Caminho da Mão Aberta, ela aprendeu que cada parte de si mesma vivia em harmonia, e seus infortúnios? Eles foram culpa daqueles que usaram a Força, como os Jedi. Depois de anos em Dalna, ela foi chamada para um propósito maior, que ela cumpriria com seu último suspiro, porque ela era uma das filhas de sua mãe, e Abda não.

Ela resmungou: “Vou comer quando o trabalho terminar.”

Abda suspirou enquanto dava uma mordida em sua refeição. “Se você arrancar o fio errado, tudo será apagado e não conseguiremos descobrir por que a República veio para este setor agora. E se você não puder enviar depois que terminarmos, eles podem ficar desconfiados e voltarão para nós.

“Eu sei o que estou fazendo.” Serrena empurrou o capuz para trás. Sua pele pálida estava coberta de queimaduras vermelhas do sol implacável. Ela mostrou os dentes e borbulhou. “Você esquece que ela me escolheu para esta honra.”

“E você falhou,” Abda murmurou, revirando seus olhos cor-de-rosa. “A princesa Xiri vive. O cessar-fogo ainda é válido e seu farol de interferência foi destruído.

Serrena baixou lentamente as garras de Louar. “Paciência.”

“Você parece um Jedi.”

Serrena xingou, mas se concentrou em seu trabalho. Ela precisava de algo útil para trazer de volta. Todo o resto era uma distração, até mesmo seu parceiro.

Uma gota de suor escorreu-lhe pelo nariz e ela apanhou-a com a língua. Seus dedos estavam firmes com determinação enquanto ela puxava um fio prateado que acionaria uma reinicialização do sistema. Então ela ligou o droide EX, e um holo de dois velhos Jedi, a julgar por suas vestes, brilhou.

“Não é o chanceler Mollo”, resmungou Abda enquanto eles ouviam. Ela sempre foi míope.

“Ainda melhor”, disse Serrena. “Precisamos dizer à Mãe que os Jedi chegaram.”

***

Abda acordou com o bipe suave de um holoprojetor. Seu holoprojetor. Como eles estavam estacionados em E’ronoh monitorando a crise, todas as comunicações passaram por Serrena. Mas Abda não estava com ciúmes. Ela sabia que a Força fornecia. Sua hora chegaria para provar a si mesma, para mostrar a todos no Caminho da Mão Aberta que ela era grata por sua segunda chance na vida. Era tudo o que todos queriam, certo? Uma chance.

Ela rastejou para fora das cobertas. Depois que o sol se pôs atrás dos desfiladeiros laranja e vermelho, as noites de E’ronoh eram implacáveis ​​em sua frieza. Abda estava acostumado a climas mais frios. Seu mundo natal de Quarzite era naturalmente legal, com seu ventre cheio de cristais brilhantes e túneis retorcidos. Era outra vida. Outra versão de si mesma, fraca demais para ser a guerreira violenta e implacável que sua família esperava dela.

Abda encontrou pessoas que aceitaram as partes quebradas de si mesma. Eles a acolheram. Desde o minuto em que ela saiu de casa… não. Não era mais um lar. Ela teve que colocar as vendas em sua mente. Desde o momento em que deixou Quarzite, tornou-se uma pessoa diferente com um novo nome e um novo propósito. Ela tinha visto o quão grande era a galáxia. Quão cruel foi também.

Seus pés eram um sussurro contra a pedra enquanto ela estremecia para fora de seu abrigo abandonado e para a noite. Ela atendeu a chamada e o holo pixelizado apareceu.

Os lábios de Abda tremeram de alegria absoluta e completa. Ela abaixou a cabeça. “Mãe, é você!”

Seus lábios eram tudo o que era visível sob seu longo manto com capuz, mas Abda a reconheceu de qualquer maneira. Ela só queria estar em Dalna para admirar a beleza da Mãe e ouvi-la sussurrar a verdade do universo. Agora ela sorria para Abda. “Olá Abda.”

“Você quer que eu acorde Serrena?” Abda se virou, mas a Mãe estalou a língua contra os dentes retos.

“Não vamos acordá-la ainda. Ela tem suas instruções.

“Sinto muito por termos decepcionado você. EU-”

“Nunca”, ela disse, sua imagem tremendo. Os sistemas de retransmissão privados em seu setor eram instáveis, e Abda os amaldiçoou por interromper até mesmo uma respiração de sua audiência com a Mãe. “Você não me decepcionou.”

Abda assentiu com a cabeça, as bochechas doendo de tanto sorrir. Ela não sabia que sorrir poderia machucar. “Eu nunca faria.”

“Eu sei que você não faria isso. É por isso que acho que é hora de você sair por conta própria.

“Claro, qualquer coisa para o Caminho da Mão Aberta.”

“Ah, não, Abda. É algo para mim. A Mãe sorriu, colocando a palma da mão sobre o coração. “Eu quero que você tome seu lugar de direito como um dos meus filhos.”

O estômago de Abda se contraiu de nervoso. Ela esperou e esperou para ser notada. Ser um dos filhos da mãe. Ela não estava pronta. ela era? Serrena sempre a lembrava de que ela não estava pronta. Mas a única voz que importava, a única voz da verdade era a da Mãe.

“Eu farei tudo.” Sua voz tremia de necessidade. “Nada.”

“Ótimo, Abda.” A Mãe olhou por cima do ombro. “Você deve fazer exatamente o que eu disser. Posso acreditar em voce?”

“Sim”, exclamou o jovem Kage. “Com cada parte do meu ser.”

Reimpresso de Star Wars: Convergence (The High Republic) por Zoraida Cordova. Copyright © 2022 da Lucasfilm Ltd. Publicado por Del Rey, uma marca da Random House, uma divisão da Penguin Random House LLC. Trecho de áudio cortesia de Penguin Random House Audio de Star Wars: Convergence (The High Republic) de Zoraida Córdova, lido por Marc Thompson.


Star Wars: A Alta República – Convergência nas prateleiras amanhã22 de novembro.


Quer mais notícias do io9? Saiba quando esperar pelo último maravilha, Guerra das Estrelase jornada nas Estrelas versões, o que vem a seguir para o Universo DC no cinema e na TVe tudo o que você precisa saber sobre James Cameron Avatar: O Caminho da Água.